Newsletter

No template file found: {$plugin.feadmin.dmailsubscription.file.templateFile}

Pesquisa

Medicina do Trabalho

Quais os Principais Fatores de Risco Psicossocial Relacionados Com o Trabalho?

2012-02-03 16:50

As mudanas significativas que ocorreram no mundo laboral nas ltimas dcadas resultaram em riscos emergentes no campo da segurana e sade no trabalho e levaram - alm de riscos fsicos, qumicos e biolgicos - ao surgimento de riscos psicossociais. De facto, a insegurana no emprego, a necessidade de ter vrios empregos e a intensificao do trabalho podem gerar stresse profissional e colocar em risco a sade dos trabalhadores.

Segundos dados europeus de 2007, cerca de 8% dos trabalhadores portugueses afirmaram ter um ou vrios problemas de sade ligados ao trabalho, em que mais de 48% dos casos afetava a vida do dia-a-dia e cerca de 50% determinava uma situao de absentismo. Cerca de 19% declararam que esta afetao estava relacionada com aspetos da sade mental e cerca de 50% com aspetos relativos sade fsica.

Os riscos psicossociais englobam as caractersticas das condies de trabalho e, sobretudo, da sua organizao, que afetam a sade das pessoas atravs de mecanismos psicolgicos e fisiolgicos. Manifestam-se atravs de problemas como o absentismo, a rotao de pessoal, o stresse ou os defeitos de qualidade que, em conjunto, representam importantes custos tanto em termos de sade para as pessoas como econmicos para a empresa.

Quando ocorre um desequilbrio entre as interaes de, por um lado, o trabalho, o seu ambiente, a satisfao no trabalho e as condies da sua organizao e, por outro lado, a capacidade do trabalhador, as suas necessidades, a sua cultura e a situao pessoal fora do trabalho, aparece o risco de origem psicossocial.

RISCOS PSICOSSOCIAIS RELACIONADOS COM A TAREFA

  • Contedo e significado do trabalho: o trabalhador sente que a tarefa desenvolvida no til para a sociedade em geral nem lhe oferece a possibilidade de aplicar e desenvolver os seus conhecimentos e capacidades.
  • Carga de trabalho: as exigncias do trabalho superam a capacidade do sujeito para responder s mesmas (sobrecarga), ou, pelo contrrio, a realizao das tarefas apresenta poucas exigncias ao trabalhador (infra carga).
  • Autonomia: a falta de autonomia (ex.: impossibilidade de controlar a durao e distribuio das pausas, impossibilidade de influir na ordem das tarefas, etc.) traz menor envolvimento do trabalhador na organizao, afetando a sua motivao, gerando insatisfao e reduzindo o seu rendimento no trabalho.
  • Grau de automatizao: na maioria dos processos automatizados, a organizao e o ritmo de trabalho dependem do equipamento, limitando a tarefa do trabalhador a uma srie de operaes rotineiras e repetitivas. Pode ocorrer igualmente um empobrecimento das relaes pessoais e das possibilidades de comunicao com outros trabalhadores, aparecendo o risco de isolamento.


RISCOS PSICOSSOCIAIS RELACIONADOS COM A ORGANIZAO DO TEMPO DE TRABALHO

  • Durao e distribuio do horrio de trabalho: Impossibilidade de recuperao fsica e mental do organismo humano, decorrente da realizao de um horrio de trabalho contnuo e excessivo (superior a 8 horas dirias).
  • Horrio por turnos: As mudanas de horrio provocam uma srie de consequncias relacionadas com a reduo da atividade mental e da capacidade de ateno/ reao, e com o equilbrio nervoso e a fadiga, juntamente com alteraes do sono, repercutindo-se a nvel familiar e social.
  • Descansos e pausas: A distribuio das pausas est relacionada com o tipo de horrio, a possibilidade de flexibilidade do mesmo e, sobretudo, com o tipo de tarefa realizada. Na organizao do perodo de trabalho, deve-se promover a realizao de intervalos para descanso, de durao no inferior a uma hora nem superior a duas, de modo que o trabalhador no preste mais de cinco horas de trabalho consecutivo.


RISCOS PSICOSSOCIAIS RELACIONADOS COM A ESTRUTURA DA ORGANIZAO

  • Definio da tarefa: A incerteza/ ambiguidade/ indefinio do modo de realizao das tarefas associadas a determinado posto de trabalho pode colocar o trabalhador em situaes contraditrias ou de indeciso e geradoras de stresse.
  • Estrutura da hierarquia: Conhecer a estrutura da empresa e o lugar que cada um ocupa na mesma importante para o desenvolvimento, tanto dos trabalhadores como da prpria empresa.
  • Canais de informao e comunicao: A informao que o trabalhador precisa conhecer, tanto para desempenhar adequadamente o seu trabalho, como para trabalhar sem riscos para a sua segurana e sade, deve ser transmitido de forma clara e simples e deve chegar a todo o pessoal.
  • Relaes entre departamentos e trabalhadores: As boas relaes entre os diferentes departamentos da empresa e entre os prprios trabalhadores contribuem para a melhoria do ambiente de trabalho e da produtividade.
  • Desenvolvimento profissional: A falta de possibilidades de promoo pode provocar a perda de interesse por tudo aquilo no relacionado com a rotina diria e, por outro lado, uma formao inadequada para o desempenho dos trabalhos constituem fontes de stresse.
  • Sistema de recompensas ou compensaes: A interao entre um esforo elevado e um baixo nvel de recompensas (instabilidade profissional, falta de perspetivas de promoo, falta de respeito e reconhecimento, etc.), a longo prazo, representa a situao de maior risco para a sade.


OUTROS FATORES PSICOSSOCIAIS

  • Imagem social: uma boa imagem social gera nos trabalhadores maior identificao com a empresa, e isto influi no ambiente de trabalho, no rendimento e na satisfao no trabalho.
  • Localizao: a deslocao a outras cidades, a distncia entre o local de trabalho e a morada e locais de lazer, e a influncia de um espao natural circundante, incidem diretamente na qualidade de vida dos trabalhadores.
  • Atividade: a atividade da empresa pode gerar "conflito de funo" se o trabalhador realizar uma tarefa no conforme aos seus interesses ou valores, e pode chegar a envergonhar-se do trabalho quando este entra em conflito com os interesses ou valores da sociedade, tornando-se uma fonte de insatisfao.
  • Futuro inseguro no emprego: Quando existe incerteza acerca do futuro no posto de trabalho (despedimento, transferncia forada, promoo), qualquer questo percebida como uma ameaa, aumentando o nvel de stresse e a insatisfao.
  • Contexto fsico perigoso: quando a tarefa a ser realizada perigosa, gera-se ansiedade e sentimento de ameaa no trabalhador. Nestes casos, ganha especial importncia a informao e a formao dada ao trabalhador sobre a identificao dos riscos e as medidas a adotar para evit-los.


PREVENO DE RISCOS PSICOSSOCIAIS

necessrio monitorizar e melhorar constantemente os ambientes de trabalho a nvel psicossocial a fim de criar empregos de qualidade e assegurar o bem-estar dos trabalhadores.

Neste sentido, o Comit dos Altos Responsveis da Inspeo do Trabalho (CA-RIT), com representantes da Unio Europeia de todos os Estados, acordou na realizao de uma campanha de inspeo sobre as questes psicossociais, a decorrer em 2012, que ser desenvolvida no territrio Portugus pela Autoridade para as Condies do Trabalho.

Esta campanha ir ser direcionada ao setor da sade, (instituies pblicas, privadas, cooperativas, instituies particulares de solidariedade social, centros de reabilitao hospitalar e unidades de cuidados continuados), com internamento e tem como objetivo promover a avaliao dos riscos psicossociais nos locais de trabalho, e incrementar a melhoria da qualidade das avaliaes de riscos existentes.

Elisabete Afonso (TSST)

 

Leia Tambm: