Newsletter

No template file found: {$plugin.feadmin.dmailsubscription.file.templateFile}

Pesquisa

Medicina do Trabalho

Saiba Como Combater o Medo de Viajar de Avião

2011-04-29 12:34

Estudos internacionais referem que cerca de 1/3 da população adulta sofre de aerofobia. A aerofobia pode ser definida como um medo acentuado, persistente e excessivo que surge quando a pessoa é confrontada com a perspectiva de viajar de avião. A exposição a este estímulo provoca quase sempre uma reacção de ansiedade, podendo atingir o ataque de pânico,  que o indivíduo reconhece como desproporcionada e que produz um enorme transtorno e interferência na sua vida pessoal, profissional, social ou familiar.

A aceleração, a velocidade, a altitude, a vibração e os ruídos característicos do avião, são estímulos que activam naturalmente o sistema nervoso, desencadeando sensações físicas que são perfeitamente normais. Contudo, o medo de voar começa a condicionar a vida das pessoas e a tornar-se um problema quando a irracionalidade domina a situação e a viagem passa a ser uma fonte de ansiedade e sofrimento que a pessoa não controla.

O medo de voar pode ter traduzir-se através de sintomas cognitivos, comportamentais e fisiológicos que variam muito de pessoa para pessoa.

Sintomas Psicológicos e Comportamentais 

 

Enviezamento e estreitamento da atenção: O indivíduo vai hiperalerta e regista todos os ruídos e movimentos do avião, controlando persistentemente as expressões e comportamentos da tripulação para detectar o mínimo sinal de perigo.

Alterações da concentração: O indivíduo tem dificuldade em se concentrar em tarefas simples (ver televisão, ler um livro, etc.) devido à preocupação com a ocorrência de situações de voo trágicas.

Difculdade no raciocínio: As ideias fluem de forma acelerada e desorganizada, uma vez que o cérebro está a funcionar no “modo de perigo” e o indivíduo tem dificuldade em agir de forma racional.

Memória selectiva: O indivíduo foca-se sobretudo em recordações negativas (acidentes de aviação, experiências anteriores) aumentando o nível de ansiedade.

Expectativas e interpretações negativas: Todas as sensações, comportamentos e ruídos sentidos pelo indivíduo são interpretados de forma exagerada e negativa: medo de desmaiar, que falte o ar, que haja uma explosão ou um incêndio, que o mau tempo impeça o piloto de aterrar, etc.

Pensamentos tipo obsessivo: A ideia de que “algo vai correr mal” está constantemente presente.

Catastrofização: O indivíduo prepara-se para a viagem como se fosse para a morte: faz despedidas dramáticas dos amigos e familiares, redige o testamento, deixa carta escrita, faz seguro de vida.

Sintomas Físicos

  • Sensação de falta de ar (dispneia).
  • Palpitações ou coração acelerado, pressão no peito.
  • Tensão muscular, tremores, formigueiros.
  • Boca seca.
  • Alterações gastrointestinais como náuseas, vómitos, diarreia.
  • Dores de cabeça , dificuldade no sono, irritabilidade.
  • Tonturas, visão turva.
  • Palidez ou rubor.
  • Desconforto abdominal e intestinal (dores de barriga, gases).
  • Transpiração excessiva (mãos frias e suadas).
  • Poliúria (aumento da necessidade de urinar).

 

Como Combater o Medo de Viajar de Avião?

Beba muita água para ajudar a diluir a adrenalina no corpo.

Durma bem na véspera da viagem.

Converse com o seu companheiro ao lado e não fique obcecado com os movimentos e expressões da tripulação a pensar que algo pode correr mal.

Confie na tripulação. Veja as explicações de segurança e distraia-se conversando, ouvindo música ou lendo. Caso se sinta muito nervoso avise a hospedeira.

Na refeição coma sem pressas e prefira água ou sumo, pois o álcool e a cafeína estimulam a ansiedade. Se sentir turbulência, relaxe, pois a oscilação é inofensiva, apenas torna a viagem menos confortável.

Recorra a ajuda clínica especializada. Estudos demonstram que, se não for tratada, a fobia tende a agravar-se com o decorrer do tempo. Actualmente, em Portugal, existe um centro especializado no estudo e tratamento da fobia de voo – Voar Sem Medo, o qual é constituido por uma equipa multidisciplinar altamente qualificada e com ampla experiência no tratamento de passageiros com medo de viajar de avião.

Independentemente do grau de severidade da fobia de voo, existem técnicas de tratamento muitíssimo eficazes (taxas de sucesso acima dos 90%), nomeadamente a psicoeducação e outras técnicas cognitivo-comportamentais, que vão munir as pessoas com ferramentas que, após um treino adequado, lhes permitirão controlar e dominar a ansiedade que sentem.

A toma de fármacos, ansiolíticos ou antidepressivos, é também uma medida eficaz, devendo contudo ser sempre administrada por indicação médica.

Lembre-se: Uma viagem de carro é 266 vezes mais perigosa do que uma de avião. É preciso entender que aqui o inimigo não é o aparelho em si, mas a mente e a própria fobia.

 
Elisabete Afonso (TSST) 

Fonte: www.voarsemmedo.com