Newsletter

No template file found: {$plugin.feadmin.dmailsubscription.file.templateFile}

Pesquisa

Medicina do Trabalho

Qual o Objectivo da Vacinação?

2011-10-04 11:23

As vacinas são o meio mais eficaz e seguro de protecção contra certas doenças, sendo compostas por substâncias que ao serem introduzidas no organismo suscitam uma reacção do sistema imunitário semelhante à que ocorreria no caso de uma infecção por determinado agente patogénico, desencadeando a produção de anticorpos que acabam por tornar o organismo imune (ou mais resistente) a esse agente e às doenças por ele provocadas.

Não basta vacinar-se uma vez para ficar devidamente protegido. Em geral, é preciso receber várias doses da mesma vacina, ou então doses de reforço (nalguns casos durante toda a vida), para que esta seja eficaz. A vacinação, além da protecção pessoal, traz também benefícios para toda a comunidade, pois quando a maior parte da população está vacinada interrompe-se a transmissão da doença.

PROGRAMA NACIONAL DE VACINAÇÃO

O Programa Nacional de Vacinação (PNV) entrou em vigor em 1965 e integra as vacinas consideradas mais importantes para defender a saúde da população portuguesa. É da responsabilidade do Ministério da Saúde e tem a particularidade de ser um programa universal e gratuito que abrange todas as pessoas do país.

As vacinas incluídas no PNV são muito importantes para a Saúde Pública e permitem combater as seguintes doenças:

IMPORTÂNCIA DA VACINAÇÃO NOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

Os profissionais de saúde estão expostos a diversos agentes biológicos nas suas actividades diárias, pelo que a protecção adquirida pela vacinação e a monitorização do estado vacinal é essencial.

Cabe ao empregador (art.º 13, Decreto-Lei n.º 84/97 de 16 de Abril) assegurar, através dos Serviços de Segurança e Saúde no Trabalho / Serviço de Saúde Ocupacional:

  • A  vacinação gratuita dos trabalhadores, quando existam vacinas eficazes contra agentes biológicos a que os trabalhadores estão ou podem estar expostos no local de trabalho;
  • A informação dos trabalhadores sobre as vantagens da prevenção do risco profissional através da vacinação incluindo as potencialidades e os eventuais inconvenientes da mesma.

Mesmo quando se cumprem todas as medidas que fornecem uma protecção significativa contra a transmissão de agentes infecciosos, existem acidentes que não podem ser totalmente evitados, pelo que a vacinação dos profissionais de saúde representa claramente um requisito essencial e indispensável para a segurança e saúde do trabalhador. 

Actualmente as vacinas contra a hepatite B, tétano/difteria e gripe são as que revestem maior importância para os profissionais de saúde, pelo nível elevado de protecção, individual e de grupo, que asseguram. A administração destas vacinas deve ser efectuada nos serviços de saúde da rede do Ministério da Saúde (ou outros serviços com os quais sejam celebrados protocolos), sem encargos para os trabalhadores e no horário normal de serviço.

No programa criado pela Equipa de Saúde Ocupacional do Centro Regional de Saúde Pública de Lisboa e Vale do Tejo, de acordo com a actividade desempenhada,  identificam-se os profissionais de saúde que pertencem a grupos alvo mais susceptíveis, ou de maior risco, aos quais é essencial administrar os diversos tipos de vacinas:

  • Vacinação contra o tétano e difteria (Td): Todos os profissionais de saúde.
  • Vacinação contra a hepatite B (VHB): Profissionais de saúde, excluindo os que têm tarefas exclusivamente administrativas.
  • Vacinação contra a gripe sazonal: Trabalhadores dos serviços de saúde, em  risco de contrair gripe decorrente da sua actividade profissional por contacto próximo com os utentes/doentes (critério geral não absoluto: distância entre o utente e o profissional inferior a 1 metro). 

PERGUNTAS E RESPOSTAS REFERENTES À VACINAÇÃO

Qualquer pessoa pode vacinar-se?
Na generalidade sim, mas há situações que exigem precauções e, em certos casos, podem até existir contra-indicações em relação a certas vacinas. Antes de fazer qualquer vacina deve consultar o seu médico assistente, sobretudo em caso de doença grave, gravidez, tratamento com corticosteróides, tratamento com radiações.

As vacinas têm efeitos secundários?
Apesar de seguras, as vacinas podem provocar algumas reacções adversas, mas estas são normalmente de curta duração. As mais frequentes são inchaço, dor e vermelhidão no local da injecção, febre e mal-estar geral.

Quando devo vacinar-me?
A melhor forma de ficar protegido contra determinadas doenças é cumprir o calendário de vacinação recomendado pelo Programa Nacional de Vacinação (PNV). As crianças são as principais destinatárias, mas também abrange os adultos.

Onde posso vacinar-me?
Nos centros de saúde, hospitais e outros serviços de saúde devidamente autorizados.

O que é preciso para me vacinar?
Basta dirigir-se ao centro de saúde da sua área de residência e levar consigo o Boletim de Vacinas. Se por qualquer motivo (férias prolongadas, por exemplo) não puder recorrer ao seu centro de saúde, dirija-se aquele que está mais próximo do local onde estiver.

Quanto custam as vacinas?
As vacinas que fazem parte do Programa Nacional de Vacinação (PNV) são gratuitas.

Existem outras vacinas para além das que constam do PNV?
Sim. Consulte o seu médico assistente para uma avaliação da situação clínica e da necessidade efectiva de vacinação extra.

Em que situações é recomendada a vacina contra a gripe sazonal?
A vacina contra a gripe é recomendada para as pessoas que integram grupos da população mais vulneráveis ou de maior risco, tais como:

  • Pessoas com idade igual ou superior a 65 anos;
  • Doentes crónicos e imunodeprimidos, com mais de 6 meses de idade;
  • Grávidas com tempo de gestação superior a 12 semanas;
  • Profissionais de saúde e outros prestadores de cuidados (lares de idosos, designadamente);
  • Este ano, a Direcção Geral de Saúde recomenda que a vacina da gripe seja tomada também pelas pessoas entre os 60 e os 64 anos, um grupo que não é considerado normalmente como população alvo.

Onde se pode adquirir a vacina contra a gripe sazonal?
A vacina da gripe está disponível de duas formas: nas farmácias de oficina mediante receita médica e nos centros de saúde para os grupos mais desfavorecidos a quem esteja indicada a vacina.

As receitas médicas emitidas a partir de 1 de Agosto de 2011, nas quais seja prescrita exclusivamente a vacina contra a gripe para a época gripal 2011/2012, são válidas até 31 de Dezembro do corrente ano.

Elisabete Afonso (TSST)